sábado, 13 de maio de 2006

Muito talento e pouco reconhecimento - Parte 6


Fairuza Balk: De uma beleza exótica, fruto de sua ascendência romena, persa e irlandesa, ela parece pertencer à aquela categoria de atores cuja imagem sempre vai ser associada a um papel específico, o que é uma pena, pois ela já provou ser bastante versátil. No seu caso, o personagem que marcou sua carreira é Nancy Downs, protagonista do filme "Jovens Bruxas" (The Craft,1996). Ela fazia a líder de um quarteto de adolescentes que se envolvem com magia e bruxaria. Apesar de ter pouco mais de 30 anos, já atuou em quase 40 filmes, a maioria produções de pouca importância. Seu primeiro papel de destaque foi o de uma prostituta no excelente "Coisas para se fazer em Denver quando você está morto", de 95. Um ano depois ela roubou a cena como uma perversa bruxinha no filme já citado, o que parecia que ia catapultar sua carreira para o alto. Ledo engano: seu filme seguinte foi uma superprodução, "A Ilha do Dr. Moreau" um grande - e merecido - fracasso; e só ofereciam a ela papéis de mulheres problemáticas ou desajustadas. Fez também "A outra História Americana" e "Quase Famosos", ambos filmes de boa qualidade e razoavelmente bem-sucedidos; mas suas participações eram pequenas, e quando ganhava papéis mais relevantes, o filme não era bom, como em "Deuces Wild". Atualmente sua carreira parece estar em franca decadência, limitando-se a telefilmes, séries e até locução de videogame. Maldita Hollywood e sua ditadura estética!

Um comentário:

landika disse...

concordo com tudinho, ela está em Estrela Solitária, num papelzinho "encaixado" de a namorada doida...