segunda-feira, 6 de março de 2006

Muito talento, pouco reconhecimento - Parte 3



Steve Buscemi: esse cara é uma lenda viva. Feio que só ele, começou a carreira de ator em 1984 e já tomou parte em quase 90 filmes. Versátil, também já foi produtor, diretor e roteirista. Atuou por uma temporadada e dirigiu 3 episódios na excepcional série Família Soprano, da HBO. Cool ao extremo, tornou-se um ícone do cinema independente até ser engolido pela indústria cinematográfica ao trabalhar em bombas como Armageddon, Con Air, Fuga de Los Angeles (mais uma mancada do competente John Carpenter) e Spy Kids 2 e 3. Por outro lado, saca só a lista de filmes bacanas que contaram com sua presença: Mistery Train, Dead Man e Coffee and Cigarettes 2 (do também ultracool Jim Jarmusch), O Rei de Nova York (policial dirigido pelo junkie Abel Ferrara e com o Christopher Walken), Peixe Grande (do inimitável Tim Burton), Coisas para se Fazer em Denver quando Você Está Morto (adoro esse filme), The Laramie Project ("falso documentário" sobre crime real no interior dos E.U.A.), Ghost World, (simples e ótimo, tem também no elenco Thora Birch – de Beleza Americana - e Scarlet Johanson – de Encontros e Desencontros – e que aqui no Brasil ganhou o estúpido nome de “Mundo Cão”) entre outros. Sabe escolher seus amigos: atuou em vários filmes dos meus ídolos irmãos Cohen - Ajuste Final, Barton Fink, A Roda da Fortuna, Fargo e O Grande Lebowski, todos esses altamente recomendados - e também do Tarantino - Cães de Aluguel e Pulp Fiction. Em suma: nos filmes mais divertidos dos últimos 20 anos (que não são muitos, acho que de forma geral o cinema entrou numa crise depois dos anos 70 e o padrão de qualidade despencou, os executivos dos estúdios acham que efeito especial substitui o talento) sempre tem Steve Buscemi.

Nota: uma coisa que esqueci de mencionar é que os filmes, atores e diretores em negrito têm a minha aprovação. Não me responsabilizo pelos que não estão em negrito.

2 comentários:

Anônimo disse...

Legal essa idéia de levantar a bola desses atores menos famosos. Parabéns pelo blog

Carlos Pujol disse...

Desculpe pela franqueza, mas seu blog é prolixo e arrogante.