quinta-feira, 9 de março de 2006

Evangélicos celebram Dia Internacional da Mulher

A blogsfera é um mundo estranho. Talvez quase tão estranho quanto o mundo de David Lynch em "Veludo Azul". Um desconhecido deixa um comment, você vai na página dele, acha o conteúdo bizarramente interessante, clica num link dele e daí pula para outro, cujo título refere-se a algo escatológico. Mas, obviamente, nada supera a boa e velha realidade em se tratando de anormalidade. Pois foi no catarro.blogspot.com/ que vi uma notícia daquele tipo que a gente lê e depois balança a cabeça e resmunga baixinho: que merda de mundo é esse? Justamente no Dia Internacional da Mulher... Antes de botar o link prá notícia, o cara faz a seguinte introdução:Debaixo de todo santinho se esconde um filho-da-puta. Estou generalizando, sim. Veja você: 90% dos agressores de mulheres denunciados na zona leste de SP são evangélicos. Na igreja os caras pregam a paz. Em casa é porrada e humilhação em cima da mulher

"Das 3 mil mulheres que procuram ONG da Zona Leste que assiste vítimas de violência, 90% são evangélicas agredidas física ou verbalmente pelos maridos - que, na igreja, são exemplos de bondade. " Do Jornal da Tarde: www.jt.com.br/editorias/2006/03/08/ger36218.xml Acho que só essa chamada já resume bem o que quero dizer. Mas o miolo da notícia fornece uma perspectiva mais ampla desta verdadeira tragédia cotidiana. Como todo texto de tablóide, falta a isenção e objetividade do jornalismo verdadeiro e sobram tiradas apelativas. Mas, entre outras coisas ficamos sabendo, por exemplo, que as próprias igrejas que as fiéis frequentam não oferecem nenhum tipo de apoio ou aconselhamento às mulheres agredidas. O marido de Joana usa a própria Bíblia para justificar as agressões, recitando um versículo: "Mulheres, sujeita-vos aos vossos maridos". O mais absurdo - mas nem por isso mais incomum - é que as próprias vítimas passam a procurar sua culpa pelas agressões: "Não sei arrumar o guarda-roupa" ou "ele adora usar camisa social e eu não sei usar bem o ferro elétrico". A vida de Lurdes já não era fácil: não tolerava o cinismo de seu marido e amigos, comportamento imaculado nos templos, seguido por bebedeiras homéricas. Mas tudo piorou depois que foi estuprada; o marido disse que ela certamente incitou o estupro, atraindo o agressor, comportando-se de modo lascivo. Ela não tem a quem recorrer, na igreja dizem que o problema é entre ela e o marido e que psicólogo de crente é Jesus.

As igrejas evangélicas crescem em escala exponencial no Brasil. No Rio, o casal Garotinho defende a idéia de lecionar nas escolas públicas a doutrina criacionista em detrimento da Teoria Evolucionista de Darwin. Enquanto isso o Exército é mobilizado para dar uma satisfação à classe média em meio a uma verdadeira guerra civil que já se estende há anos. Não falei naquele post ..."a História se repete" que vivemos numa estúpida Era Medieval? Pois é...

Elas se espalham como erva daninha. Jogam baixo, aproveitam-se da fragilidade emocional
das pessoas e de suas necessidades não supridas para sujeitá-las a intensas sessões de lavagem cerebral. Tudo pelo dízimo. Temos que impedir isso! Minha irmã virou crente! E é uma pessoa esclarecida, morou fora, vai se formar em administração... Socorro!

4 comentários:

Kevin Kazan disse...

The stuff that dreams are made of, huh?

Micael Suzuki disse...

(...) Digo com infinito mais um, rumble, que tudo de boa semente que dá nesse chão de um deus dia há de ser flor. A que há de ser! E que será. Que sobre blogue a gente bloga mas nem que consegue crer tudo que se postou. Arre que as coisas nem são simples! Mas justiça é como se justiça-ão. Uiauiu... Auauau, cocorocó! Que o bicho chia mesmo, saltimbanco. Justiça? Justiça está no volante, homi, no volante rodado, sapiens, na entrada e no final, que começo mais nem seria, pois é, em watis is, yai. Bom, bom mesmo! Chique de bom, tal eclético que tento sorver. E que negócio é esse? Como que se posso acreditar na boa nova do jesusa, agora? Dói, viu, mas vale. Pena que vale. (...) Digo, ótimo o seu blog, cada vez melhor. Música, arte. É assim. Pequeno Príncipe? Sabe que concordo? Na minha profunda ignorância afundo no colchão mais macio do mundo, na mais pura matéria do sonho, a sentir tudo e dizer nada...

Kevin Kazan disse...

what if a post an article about extraterrestrial life ?

Anônimo disse...

Sim, provavelmente por isso e