quarta-feira, 3 de janeiro de 2007

A Generation Lost in Space

"Há muito tempo, ainda me lembro, como aquela música me fazia sorrir. E eu sabia que se me dessem uma chance eu poderia fazer as pessoas dançarem e talvez elas seriam felizes por um alguns momentos...
Mas fevereiro me fez arrepiar a cada jornal que entregava, eu não podia dar mais um passo à frente.
Não me lembro se chorei quando soube de sua viúva, mas algo me tocou profundamente no dia em que a música morreu.
Você escreveu o livro do amor, você tem fé no Deus lá de cima? Acredita no rock´n roll, que a música pode salvar sua alma e você pode me ensinar a dançar bem devagarinho?"

Até aí dá para traduzir a letra, mas se continuar fica meio ridículo ("era um adolescente sozinho, pele rosada, dirigindo uma saveirinho..." não dá). Além do mais ela é tão longa quanto indecifrável, é impressionante a quantidade de interpretações divergentes que você pode achar na rede. Acho que é uma das músicas mais bonitas já feitas, mas como é datada e manjada, muita gente deve discordar de mim.

Aparentemente ela conta a história do rock entre fevereiro de 1959 (quando Buddy Holly, Ritchie Valens e Big Bopper morreram em um acidente de avião; como os 3 eram estrelas do rock em ascensão a data ficou conhecida como "the day that music died") e 1971. American Pie foi eleita uma das 5 músicas mais representativas da cultura norte-americana no século XX. Me chamem de dinossauro, de saudosista, mas fico chateado quando vejo que pessoas mais novas que eu acharem que esse é o título de uma série de filmes patéticos para adolescentes. Isso porque acho que essa música é um pequeno baú do tesouro, repleto de jóias como:

When the jester sang for the king and queen,
In a coat he borrowed from james dean
And a voice that came from you and me

Quando o bobo cantou para o rei e a rainha
usando um casaco emprestado do James Dean
e uma voz que veio de mim e você

Separado assim do resto, o verso não parece ter nada de especial, mas acompanhado da melodia e da letra inteira, torna-se uma síntese sem par de uma geração que, mais que sonhar, ousou acordar e viver seus sonhos, todos magicamente na mesma sintonia. Algo difícil até mesmo de imaginar em nossos tempos pragmáticos, materialistas. Seguem as interpretações mais comuns, mas nada impede que você veja outras metáforas na letra. O autor, Don MacLean, sempre se recusou a revelar seu significado, deixando implícito que isso ficaria a cargo do ouvinte.

A long, long time ago...
I can still remember
How that music used to make me smile.
And I knew if I had my chance
That I could make those people dance
And, maybe, they’d be happy for a while.

But february made me shiver
With every paper I’d deliver.
Bad news on the doorstep;
I couldn’t take one more step.

I can’t remember if I cried
When I read about his widowed bride,
But something touched me deep inside
The day the music died.

So bye-bye, miss american pie.
Drove my chevy to the levee,
But the levee was dry.
And them good old boys were drinkin’ whiskey and rye
Singin’, "this’ll be the day that I die.
"this’ll be the day that I die."

Did you write the book of love,
And do you have faith in God above,
If the Bible tells you so?
Do you believe in rock ’n roll,
Can music save your mortal soul,
And can you teach me how to dance real slow?

Well, I know that you’re in love with him
`cause I saw you dancin’ in the gym.
You both kicked off your shoes.
Man, I dig those rhythm and blues.

I was a lonely teenage broncin’ buck
With a pink carnation and a pickup truck,
But I knew I was out of luck
The day the music died.

Autobiográfica, a letra começa com lembranças da infância de MacLean, sua inocente interpretação da vida cultural americana na segunda metade dos anos 50, seus sonhos de se tornar músico, do choque que a morte de seus ídolos lhe causou, a primeira entre várias decepções e desilusões que causaram seu amadurecimento, como a morte de seu pai em 61, seu abandono da Universidade para tornar-se músico profissional e o assassinato de Kennedy em 63. O you in love with him do verso seria a paixão pelo rock que nascia na época. Miss American Pie era um estilo de vida que desaparecia então, onde a religiosidade ainda preponderava e uma inocente visão de mundo dava lugar a um enfoque mais amargo e melancólico.

I started singin’,
"bye-bye, miss american pie."
Drove my chevy to the levee,
But the levee was dry.
Them good old boys were drinkin’ whiskey and rye
And singin’, "this’ll be the day that I die.
"this’ll be the day that I die."

O refrão alude a um jingle popular dos anúncios da Chevrolet, além da óbvia metáfora de a vida ser uma estrada. Levee seria um córrego, um lugar aprazível, a água funcionando como uma entidade maternal, feminina, acolhedora. O fato de estar seco nos remete mais uma vez a uma grande desilusão. Os rapazes bebendo whisky e dizendo "é hoje que vou morrer" pode se referir ao estilo de vida inconsequente dos jovens, mas também a uma música de Buddy Holly.

Now for ten years we’ve been on our own
And moss grows fat on a rollin’ stone,
But that’s not how it used to be.
When the jester sang for the king and queen,
In a coat he borrowed from james dean
And a voice that came from you and me,

Referências à Bob Dylan como porta-voz da juventude, particularmente à sua canção Like a rollin´stone, o Rei e a Rainha podem ser o poder instituído, o establishment.

Oh, and while the king was looking down,
The jester stole his thorny crown.
The courtroom was adjourned;
No verdict was returned.
And while lennon read a book of marx,
The quartet practiced in the park,
And we sang dirges in the dark
The day the music died.

O king é Elvis Presley, sua carreira decaindo enquanto Bob Dylan, o jester (bobo da corte) ascendia, a coroa de espinhos significa o preço que a fama cobra; a influência dos Beatles e do ideário socialista na época.

We were singing,
"bye-bye, miss american pie."
Drove my chevy to the levee,
But the levee was dry.
Them good old boys were drinkin’ whiskey and rye
And singin’, "this’ll be the day that I die.
"this’ll be the day that I die."

Helter skelter in a summer swelter.
The birds flew off with a fallout shelter,
Eight miles high and falling fast.
It landed foul on the grass.
The players tried for a forward pass,
With the jester on the sidelines in a cast.

Começa falando provavelmente dos assassinatos de Sharon Tate e outros, em 69, cometidos pela "seita" do maluco Charles Manson, que achava que o Álbum Branco dos Beatles era uma mensagem cifrada que o instruía a liderar uma revolução onde brancos lutariam contra os negros. As oito milhas falam do grupo The Byrds, seu sucesso inicial e rápida decadência após denúncias de uso de drogas. A última linha fala de um acidente de motocicleta que Dylan sofreu na época.

Now the half-time air was sweet perfume
While the sergeants played a marching tune.
We all got up to dance,
Oh, but we never got the chance!
`cause the players tried to take the field;
The marching band refused to yield.
Do you recall what was revealed
The day the music died?

Uma referência ao avassalador sucesso dos Beatles nos EUA nos anos 60, que dificultou o êxito de bandas locais. Mas também pode ser uma alusão à Guerra do Vietnã, os jogadores tentando tomar o campo seriam os protestos contra a guerra, a marching band refused to yield a violenta retaliação da polícia, ou a recusa dos jovens a se alistarem. Ou ainda: o rock dos anos 60 era menos dançante que o dos anos 50, o romântico Maclean parecia se ressentir disso.

We started singing,
"bye-bye, miss american pie."
Drove my chevy to the levee,
But the levee was dry.
Them good old boys were drinkin’ whiskey and rye
And singin’, "this’ll be the day that I die.
"this’ll be the day that I die."

Oh, and there we were all in one place,
A generation lost in space
With no time left to start again.
So come on: jack be nimble, jack be quick!
Jack flash sat on a candlestick
Cause fire is the devil’s only friend.

Bela estrofe que fala de Woodstock, 69, onde 500.000 pessoas se reuniram e o abuso de drogas foi tamanho que sua geração constatou que não havia como começar de novo, que alguns efeitos eram indeléveis. Jack Flash é uma gíria inglesa para heroína, a mais perigosa das drogas, associando seu preparo, que envolvia a queima da substância, com o Diabo, o único amigo do fogo.

Oh, and as I watched him on the stage

My hands were clenched in fists of rage.
No angel born in hell
Could break that satan’s spell.
And as the flames climbed high into the night
To light the sacrificial rite,
I saw satan laughing with delight
The day the music died

Ele presenciou o trágico festival de Altamont em fins de 69, quando os Rolling Stones tiveram a estúpida idéia de contratar a gangue de motoqueiros Hell´s Angels como seguranças, o que resultou em espancamentos (os "anjos", bêbados e drogados, bateram até no vocalista do Jefferson Airplane) e quatro mortes: o fato de o show prosseguir mesmo depois de um homem ser brutalmente assassinado em frente às câmeras deu um ar de rito sacrificial ao evento, de celebração do demoníaco. Houve quem acusasse os Stones de terem procedido irresponsavelmente apenas para filmarem o rockmentário Gimme Shelter. Na verdade eles estavam tão confusos quanto qualquer outra pessoa presente e Altamont tornou-se a antítese do harmonioso Woodstock, seus desdobramentos catastróficos motivaram o fim dos megafestivais, o fim da crença ingênua que as coisas se acertam apenas com boas intenções e uma flor no cabelo.

He was singing,
"bye-bye, miss american pie."
Drove my chevy to the levee,
But the levee was dry.
Them good old boys were drinkin’ whiskey and rye
And singin’, "this’ll be the day that I die.
"this’ll be the day that I die."

I met a girl who sang the blues
And I asked her for some happy news,
But she just smiled and turned away.
I went down to the sacred store
Where I’d heard the music years before,
But the man there said the music wouldn’t play.

Provável alusão à morte de Janis Joplin, em 70. O fim do sonho da geração hippie.

And in the streets: the children screamed,
The lovers cried, and the poets dreamed.
But not a word was spoken;
The church bells all were broken.
And the three men I admire most:
The father, son, and the holy ghost,
They caught the last train for the coast
The day the music died.

Os efeitos devastadores da guerra, seja ela no Vietnã, ou mais provavelmente uma referência às bombas atômicas jogadas no Japão cujo desdobramento seria o Apocalipse: a Santíssima Trindade, decepcionada com a natureza auto-destrutiva do Homem, abandona sua criação pegando o último trem para o litoral.

They were singing,
"bye-bye, miss american pie."
Drove my chevy to the levee,
But the levee was dry.
Them good old boys were drinkin’ whiskey and rye
Singin’, "this’ll be the day that I die."

Tentei contar a história através desses thumbnails, notem o Chevy negro no início, que evolui para um desenho bem anos 60 mas acaba totalmente detonado. Descobri uma página bem mais detalhada, possivelmente vou reescrever isso aqui.

Um comentário:

Lidiane disse...

Rumble.

Esse post eu queria ler com mais cuidado. Por isso a demora no comentário.
American Pie fez história.
Marcou geração com Hotel California, The Wall, Aqualung e tantos outros clássicos do Rock´n´roll.
Fiquei meio assim, assim quando a Madonna gravou. :P
Sei lá.
Às vezes sou meio conservadora pra clássicos. Fico meio puta quando alguma coisa que eu adoro e ninguém conhece passa a ser lugar-comum.