terça-feira, 23 de janeiro de 2007

Eu, Robô

Esse lance de reciclar posts esquecidos é uma mão na roda.

Andava de modo automático, passando pelas pessoas que via diariamente sem cumprimentá-las. Olhar para a cara de cada um, checar se é "cumprimentável" no arquivo e em caso positivo, decidir qual tipo de cumprimento. Isso tudo acontecendo dezenas de vezes, cada vez durando frações de segundo. Não, aquilo era muito trabalhoso, cansativo, além de perigoso. Algumas pessoas são imprevisíveis, poderiam causar algum tipo de embaraço, expô-lo ao ridículo, porque, de fato, ele era um cara meio devagar. Então não cumprimentava ninguém, olhava no rosto das pessoas mas são apenas imagens borradas, não remetem a nada, não têm valor nem significado. Desse modo ele poderia ficar imerso em seu mundo interior, distraído com pensamentos desconexos, relembrando seus filmes, suas músicas, seus programas de tv. Coisas previsíveis, cujo início, meio e fim sempre estarão no mesmo lugar, não havendo risco de ser surpreendido com algo inesperado. Isso sem falar que ao conversar com alguém seu rosto ou sua linguagem corporal poderiam traí-lo, como se dissessem: "não preste atenção nas minhas palavras, estou me escondendo atrás delas."

Isso eu acabei de escrever. O anúncio me chamou a atenção.

Por falar em robô, uma ardilosa armadilha publicitária. Um site inegavelmente elegante. Por alguns instantes eles quase me convenceram que são verdadeiramente profundos e que seu objetivo é levar-nos à reflexão. Não, eles não querem que você associe seu whisky a mentes privilegiadas, declarações poéticas e intelectualmente brilhantes, (que maldade!) de modo que meta as caras na manguaça e se ache o bambambã . Afinal, todo bêbado se julga eterno. Esses caras da Johnny Walker são filósofos partilhando um mergulho esclarecedor em nossa psiquê, apresentando um libelo em defesa da condição humana. (quaquaquá)

http://www.theandroid.com/

3 comentários:

Lidiane disse...

Esse último parágrafo, menino, está muito muito engraçada.

Pra rir isso aqui: "Não, eles não querem que você associe seu whisky a mentes privilegiadas, declarações poéticas e intelectualmente brilhantes, (que maldade!) de modo que meta as caras na manguaça e se ache o bambambã".

Isso é quase um axioma: "Afinal, todo bêbado se julga eterno".

E isso me faz achar você é um cara melhor do que vc mesmo acha: "Um site inegavelmente elegante. Por alguns instantes eles quase me convenceram que são verdadeiramente profundos e que seu objetivo é levar-nos à reflexão".

Beijo.

Srta. Bia disse...

Bom, como ninguém vai conhecer a tomar uísque mesmo, seja lá com frases edificantes, ou não (aquilo para mim tem jeitão de gasolina). Vou clicar em "alcançar a imortalidade" e ver o que estou perdendo.

Hank disse...

Publicidade é a arte de separar as pessoas do seu dinheiro. Tem algumas campanhas muito criativas, que por frações de segundo até fazem-nos esquecer que eles só querem a nossa grana.
O JW é um exemplo sisso.

Cheers