quinta-feira, 23 de agosto de 2007

Operações, refris, cara de pau e o Tenente Bello


Imagino que quem chega no blog e se depara com a historinha da carroça de lenha, capítulo 4, não deve entender nada. Fica combinado que assim que concluí-la coloco os capítulos e diferentes finais em ordem.
Mas hoje não quero continuar a história. Falta inspiração, ia sair meio nas coxas, então peço desculpas à leitora por mudar de assunto um pouco, dar uma desbaratinada.

Uma das poucas revistas brasileiras que prestam é a Piauí. Acho a Veja imbecil, Istoé parece tablóide, Época consegue ser um tablóide imbecil, Carta Capital é esnobe mas faz pose de "voz do povo", Caros Amigos é comuna demais... não sobra nada. Saudades da Chiclete com Banana, Piratas do Tietê, Animal. Pode-se argumentar que estou comparando revistas de categorias diferentes, mas no fim das contas é tudo mídia impressa, e pelo menos essas 3 últimas que citei tinham a grande virtude de não se levarem a sério. E sempre me surpreendiam. Um dia falo delas, posso dizer que Angeli e Laerte foram meus mentores intelectuais por um tempo. Alguém lembra das historinhas do Squeak the Mouse, versão pornô-sanguinolenta do Mickey? E aquele Ranxerox? E os testes da Chiclete, tipo comparativos de caixinhas de fósforo ou papel higiênico? Até a sessão de cartas - que chamavam de Uppercut ou pau de macarrão, dependendo do teor do texto - era divertida. Ah, eu era feliz e não sabia. Mas não era disso que queria falar.

Squeak numa historinha light

A Piauí é bacana porque, assim como essas extintas HQs, sempre consegue surpreender. Só pra ilustrar minha tese, algumas coisas que aprendi com a edição de junho (outra coisa legal é que as Piauís não ficam desatualizadas):

- Sempre quis saber quem inventa os nomes das operações da Polícia Federal. Uma que desarticulou o jogo do bicho no MT chamava Arca de Noé. Outra foi batizada como 274 porque R$ 2,74 era o preço praticado pelo cartel de postos de gasolina em João Pessoa. A Eros desarmou o esquema de venda ilegal de remédios para disfunção erétil. Pois a revista nos informa que um tal Zulmar Pimentel é o criativo agente por trás dos nominhos. Como bom cristão, Zulmar bebe na fonte da Bíblia para seus batizados: Anjo da Guarda cerca os pedófilos, Babilônia para tráfico de bebês etc. Sua obra mais refinada é inspirada na seguinte passagem bíblica: "Restarão tão poucas árvores em sua floresta, que um menino poderá contá-las". A operação de combate à extração ilegal de madeira no Amapá ganhou o nome de Isaías, livro de origem da frase. Uma ação semelhante foi denominada Curupira, e uma esdrúxula Matinta Perera para investigar auditores fiscais. Zulmar gosta de folclore. E por falar em folclore...

Muito prazer, Dona Matinta

- ...Durante a Farra do Boi em Parintins, a Coca Cola abre uma raríssima exceção e pinta de azul (a cor da Pepsi!) suas latinhas para que os torcedores do bloco Caprichoso não fiquem malvistos ao bebê-las. Afinal, vermelho é a cor do rival, o Garantido. E como o assunto é a Coca...

- ...Responda depressa: qual o refrigerante mais vendido no Maranhão? Errou. O Guaraná Jesus, que derrubou a Coca Cola, é uma bebida cor de rosa. E foi inventada por um ateu e comunista. O que faz tanto sentido quanto...

Só o Guaraná Jesus te salva da tua sede

- ... As justificativas dos estilistas brasileiros para a imensa quantidade de modelitos que supostamente seriam criações próprias, mas na verdade são cópias descaradas de exemplares estrangeiros. E foi num país estrangeiro que...

- ...O Tenente chileno Alejandro Bello voava num avião decorado com o número 13 numa bela tarde de 1914 quando desapareceu sem deixar vestígios. O caso fascina seus conterrâneos de tal modo que quando se quer dizer que algo perdeu-se misteriosamente diz-se más perdido que el Teniente Bello. Como é de praxe nesses casos, o sumiço motiva histórias deliciosas. Uma mulher diz tê-lo visto com chifres de diabo. Um apresentador de tv pagou um médium para contatar o Tenente, e parece que funcionou, pois até escreveu um livro narrando o "encontro". Já os ufólogos garantem que foi abduzido por aliens...

O avião que sumiu com o Tenente Bello

-... o que não é de se estranhar, pois o Chile é um dos 5 países onde ocorrem mais avistamentos de UFOs. O campeão da modalidade, como não poderia deixar de ser são os EUA, seguidos por Peru (?), Brasil (???) e Rússia.

6 comentários:

quevedo® disse...

belo post sobre refrigerantes. não sabia que a festa de parintins tinha tanto apelo, a ponto de fazer a gigante coca-cola negar suas raízes e produzir uma lata azul. (é verdade isso?)

o guaraná Jesus eu conhecia...só de nome... e pensei que fosse porto-riquenho...

saudações.

Thiago Quintella disse...

Pois é, tenho alguns amigos que parecem ter sido abduzidos, mas voltaram, menos ou mais estranhos!
SAbe de uma revista que gostava tb? A MAD, do Brasil! Boas lembranças da Chiclete com Banana e Animal! Uhahaha

Lidiane disse...

Oi, lôro.

Pois é, a leitora está doida pra ver os finais.
E sente saudade do Ivanzão na trama. :P

Também gosto da Piauí. Lembro que comprei uma de capa amarela outro dia, mas nem li.
Confiscaram. :)
Mas esse final de semana, se der, ponho em dia a leitura.

Sei não... mas você não gosta mesmo da Veja? Ohohoh!
Nem da Vejinha? :))))

E eu gosto da Carta Capital.
Pode me olhar esquisito. Todo mundo já faz isso mesmo...
E gosto da Caros Amigos também, embora nem tudo dê pra digerir.
E tenho saudade da Bundas. Adorava o slogan, lembra?
"Quem coloca a bunda na Caras, não coloca a cara na Bundas".
Massssssssss, Piratas do Tietê é tudo.
Cheguei até a ver a peça que lançaram. É claro que me diverti demais.
Adorava a revista, mas lembro mais da Chiclete com Banana.
Eu pegava "emprestado" dos meninos da faculdade, junto com um monte de HQs.
Adorava a Mad também.
Confesso envergonhada que não lembro da Animal.
:(
Nhowwww.
Vergonhoso, né?

Essa ilustração que postou me lembra o traço do Crumb.
Adoro.

Sério que teve essa edição limita da Coca-Cola?
Lôro, eu PRECISO dessa revista.
Empresta?

E você já tomou o Guaraná Jesus?
Tem gosto de framboesa. Vá por mim, é uma "coisa".
Mas parece que a Coca-Cola é tãããããão poderosa que comprou Jesus.
Pois é... mas o refri continua sendo vendido sem mudanças.

Falando em abdução: NÃO ENTRE EM PÂNICO!
:P
Você é o meu Ford Perfect preferido, tá?

Beijo.

Adão Flehr disse...

E o leitor aqui também vai ficar aguardando a sua compilação para poder acompanhar a história de uma só vez...
Como eu ainda não tive a oportunidade de ler a Piauí, achei interessantíssimo o seu post de hoje... Coca-cola azul? Guanará Jesus? Onde vamos parar?
Eu gostava muito da MAD também, não perdia uma. Aposto que o Pasquim não é do seu tempo...
Abs

Edson Marques disse...

Também quero continuar acompanhando a história.

gosto da Revista Piauí, pelas mesmas razões que você citou.


Quanto às operações da PF, o único caso não muito inteligente foi batizar de "Operação Selo" a investigação sobre os Correios.


Viva Jesus em goles!


Abraços, flores, estrelas..


.

Anônimo disse...

legal demais filhão..